Seville Traditional Architecture and Urbanism Summer Shool 2016

Escola de Verão 2016 em Sevilha de Arquitectura e Urbanismo Tradicionais

Alunos e professores de diversas universidades espanholas e norte-americanas trabalharam intensamente analisando as praças, ruas, casas e pátios mais atrativos da cidade, medindo, desenhando e fotografando cada um deles e desemvolveram numa proposta urbana alternativa para a zona de Cruz del Campo da cidade de Sevilha.

Apresentação
A Escola de Verão foi organizada pelo Prémio Rafael Manzano e a Universidade de Notre Dame, graças ao apoio do Richard H. Driehaus Charitable Lead Trust e à colaboração de Universidade Alfonso X el Sabio, Universidade de Sevilha, Universidade de Alcalá, Universidade de Miami, Real Academia de Bellas Artes de Santa Isabel de Hungria, Real Academia Sevillana de Buenas Letras, Fundación Medinaceli, INTBAU España e Centro de Investigação de Arquitectura Tradicional (CIAT).

​Alunos e professores de diversas universidades espanholas e norte-americanas trabalharam durante as últimas semanas numa proposta urbana alternativa para a zona de Cruz del Campo da cidade de Sevilha.

​Esta área, durante séculos uma importante zona da paisagem sevilhana, é hoje um lugar muito maltratado. A zona ao seu redor foi-se degradadando à medida que infelizes intervenções urbanas se foram sucedendo à sua volta. Com a destruição de boa parte do complexo Cruzcampo, apresentam-se duas alternativas: tentar reverter este processo ou continuar remexendo na ferida.

​Em 2006 a notícia de que os arquitectos Norman Foster, Jean Nouvel, Arata Isozaki e Vázquez Consuegra preparavam conjuntamente um projeto para esta zona que incluía 1.963 casas empilhadas em edificios de entre 14 e 16 andares pressagiava o pior dos desenlaces possíveis. Recentemente a Gerência de Urbanismo retomou a ideia de reordenar esta zona, apresentando-se um novo Plano Especial de Reforma Interior (PERI) e afirmando-se que as casas se edificarão em não mais de uns simples blocos lineares de 9 andares.

Este tipo de design urbano, longe da beleza, da comodidade e da inerente sustentabilidade da Arquitectura e do urbanismo tradicionais da cidade de Sevilla, são infelizmente os que há décadas dominam tanto a profissão como o ensino da Arquitectura e do urbanismo.

​Durante estas semanas os participantes na Escola de Verão de Sevilha, trabalharam intensamente analisando as praças, ruas, casas e pátios mais atrativos da cidade, medindo, desenhando e fotografando cada um deles.

Tudo isso processou-se na sede da instituição que generosamente lhes deu abrigo: a Real Academia Sevillana de Buenas Letras. Deste modo, puderam tomar como referência os espaços mais belos e duradouros de Sevilha para a reordenação da deteriorada zona da Cruz del Campo, propondo uma área de construção urbana alternativa que possa iluminar o possível caminho a percorrer no projetado desenvolvimento desta zona.

Este trabalho completou-se com conferências de diversos professionais e investigadores sobre a história urbana de Sevilha, as suas tradições arquitectónicas e construtivas, e diversos temas relacionados com a preservação do seu particular carácter.

A equipa docente que acompanhou o desenvolvimento da proposta era formada por: Alejandro García, Frank Martínez, Lucien Steil e Samir Younés.

Os conferencistas convidados este ano foram: Rafael Manzano Martos, Vicente Lleó, José Peral, Fernando Quiles, Andrés Joaquín Egea, Luis Fernando Gómez-Stern e Mª Cruz Aguilar.

​Agradecemos a ajuda e dedicação de cada um dos participantes: Isabela Tiñana Díaz, Yueting Zhang, Mary Catherine Walter, Michael Madsen, Elizabeth Connaughton, Taryn Gutiérrez, Nirui Kang, Alexandria Gordon, Eric Stalheim, Patrick Keough, Callie Beal, Abner Samuel Lima González, Ruth López, Valérie Julien, Javier Ballesteros, Samira Albiac, Silvia Huelves, Margherita Tommassi, Rafael Moreno, Paula García, Miguel Segovia, Samie Kayani, Zeynep Iqbal, Eduardo Mascagni, Pablo Bañasco, Rafael Gómez, Esteban Orellana, MªAngeles Sainz de Rozas, Gonzalo Luengo, Gaétane Borne.

E também, temos de agradecer o interesse de alguns colaboradores: Julia Manzano, Rafael Valencia, Antonio Collantes, Antonio Gámiz, Fernando, Rebeca Gómez-Gordo. Um objetivo prioritário de design foi dar ao espaço público vitalidade e beleza. Por este motivo, dividiram-se as zonas em torno de 6 praças. A cada equipa foi atribuída uma sobre a qual trabalhar pondo em prática aquilo que previamente se tinha abordado nas visitas e conferências.

Imagens

Proposta global

Fotos de las actividades

Primera zona de la propuesta

Cuarta zona de la propuesta

Segunda zona de la propuesta

Quinta zona de la propuesta

Tercera zona de la propuesta

Sexta zona de la propuesta

Uso de cookies

Este sitio web utiliza cookies para que usted tenga la mejor experiencia de usuario. Si continúa navegando está dando su consentimiento para la aceptación de las mencionadas cookies y la aceptación de nuestra política de cookies, pinche el enlace para mayor información.plugin cookies

ACEPTAR
Aviso de cookies