Júri do Prémio de Nova Arquitectura Tradicional

O Júri é composto ano após ano por um empenhado grupo de pessoas que desenvolveram um trabalho importante no campo da defesa da Arquitectura tradicional e da restauração arquitetónica, tanto a nível internacional como localmente em ambos países.

No ano de 2019, o Júri do Prémio é dirigido por Robert Adam e integrado por José Baganha, Melissa DelVecchio, Leopoldo Gil, Leon Krier, Michael Lykoudis, Rafael Manzano, Alfonso Muñoz Cosme, Pedro Navascués e Stefanos Polyzoides. Alejandro García Hermida atua como secretário do júri.

Robert Adam

É uma personalidade de grande reconhecimento tanto no Reino Unido como internacionalmente por ter desenvolvido a arquitectura tradicional e clássica e como pioneiro de um desenho urbano contextual, assim como nas suas facetas de designer de mobiliário, escritor e académico. Os seus projectos incluem habitações unifamiliares privadas, ampliações de edifícios históricos e edifícios públicos e comerciais. Tem uma grande experiência em planeamento e urbanizações privadas de habitação, foi pioneiro no desenvolvimento de legislação com base em objectivos, e é professor convidado de Desenho Urbano na Strathclyde University. Para além de muitos prémios pela sua arquitectura, Robert foi nomeado 15º Prémio Richard H. Driehaus em 2017 pela Universidade de Notre Dame.

Conseguiu avanços na aceitação do desenho tradicional entre os profissionais de arquitectura britânicos e continua sendo membro activo de muitas organizações e instituições. Foi um autor prolífico sobre a teoria e prática da arquitectura e do urbanismo tradicionais desde 1975. Entre as suas publicações destacam-se: Classical Architecture: a complete handbook (1990), The Globalisation of Modern Architecture (2012), o seu livro em tom humorístico The Seven Sins of Architects (2010), e Classic Columns: 40 years of writing on Architecture (2017).

Adam tem um interesse particular na investigação e, através da sua empresa, publicou investigações sobre as tendências de planeamento urbano e a evolução social entre o grupo de idades dos 18 aos 34 anos. Deu conferências nos Estados Unidos, Rússia, China, Irão e Brasil e continua a fazê-lo com frequência no Reino Unido.

VÍCTOR ANTONA del VAL

Licenciado en Geografía e Historia, especialidad Prehistoria, por la Universidad Complutense de Madrid. En 1986 accede al del Cuerpo Facultativo de Conservadores de Museos. Ha desarrollado su trabajo en distintas responsabilidades en la Administración pública, en el sector privado y en asociaciones, tales como director del Museo Nacional de Arqueología Marítima de Cartagena, Jefe de Servicio de Patrimonio Histórico Mueble y Arqueológico de la Comunidad de Madrid, Jefe del Servicio de Monumentos y Arqueología del Instituto del Patrimonio Cultural de España, Jefe de Servicio de Archivos, Museos y Exposiciones de la Consejería de Educación, Cultura y Deporte de Castilla-La Mancha, responsable del Programa de Patrimonio Histórico de la Fundación Cultural Banesto, consultor independiente en materia de museos. En la actualidad trabaja en el Registro de la Propiedad Intelectual del Ministerio de Cultura. Ha comisariado y/o coordinado más de un centenar de exposiciones y montajes museográficos, ha escrito y/o coordinado más de 50 publicaciones; ha impartido clases en cursos relacionados con el patrimonio cultural en la Universidad de Salamanca, y en programas de cooperación en El Salvador, Angola y Cabo Verde.

José Baganha

É arquiteto da Escola Superior de Belas Artes do Porto e na Universidade Técnica de Lisboa e é doutorado pela Universidade do País Basco. Em 1991, fundou o seu próprio ateliê, trabalhando desde então em projectos residenciais, hoteleiros, comerciais, de equipamentos e urbanos. É, em todo caso, na continuação das tradições vernáculas da região do Alentejo que a maestria de José Baganha se destaca de forma mais proeminente. Tal é evidenciado pelo conjunto de montes alentejanos projetados nos últimos anos. Foi professor nas Faculdades de Arquitectura de Viseu e de Sintra da Universidade Católica Portuguesa e professor convidado em diversas universidades europeias. Fundou a INTBAU Portugal, cofundou o Council for European Urbanism e é membro da direção do Colégio de Património Arquitectónico da Ordem dos Arquitectos. Além do Prémio Rafael Manzano 2017, as qualidades mencionadas do seu trabalho renderam-lhe outros prémios internacionais, como o Prix Européen para a Reconstrução da Cidade 2011 da Fundação Philippe Rotthier.

Melissa DelVecchio

É arquiteta da Universidade de Notre Dame e tem um Mestrado em Arquitectura pela Universidade de Yale. Juntou-se ao estúdio Robert A.M. Stern Architects em 1998, sendo sócia do mesmo desde 2008. Os seus trabalhos mais recentes incluem o Schwarzman College da Universidade Tsinghua de Pequim; duas novas residências na Universidade de Yale; dois edificios para a Harvard Business School e um para a Harvard Law School; o Stayer Center for Executive Education da Universidad de Notre Dame; o Heavener Hall da Universidad de Flórida; e a nova escola de empresários da Universidade de Nebraska.

Anteriormente, trabalhou com Scott Merril em projectos residenciais e comerciais nas localidades de Seaside e Windsor, desenhados por Duany Plater-Zyberk na Flórida, e para Mark P. Finlay Architects em Connecticut numa ampla gama de projectos residenciais. Fez parte de júris de projectos na Universidade de Yale e na Universidade de Notre Dame, entre outros, e foi conferencista convidada na Universidade de Notre Dame e em diversos congressos profissionais dos Estados Unidos e China.

Alejandro García Hermida

É Arquitecto e Mestre em Conservação e Restauro do Património Arquitectónico pela Universidad Politécnica de Madrid. É Professor desde 2009 da licenciatura em Arquitectura da Universidad Alfonso X el Sabio, onde lecciona as disciplinas História da Arquitectura e do Urbanismo, Intervenção no Património Arquitectónico e Estética e Composição. Foi Visiting Scholar na University of Notre Dame School of Architecture (Indiana, EUA) e professor convidado em várias universidades, seminários e congressos, tanto nacionais como internacionais. Dedica a sua actividade profissional ao restauro e à análise histórico-construtiva de edifícios históricos e estações arqueológicas de diversos tipos e épocas em Espanha, Marrocos e Perú. É Diretor executivo em Espanha e em Portugal das iniciativas desenvolvidas pelo INTBAU, graças à contribuição do Richard H. Driehaus Charitable Lead Trust, entre as quais se destacam o Concurso de Arquitectura Richard H. Driehaus, os Prémios Richard H. Driehaus das Artes da Construção, a Rede Nacional de Mestres da Construção Tradicional e o Prémio Rafael Manzano de Nova Arquitectura Tradicional. É membro do Conselho Directivo da ONG Terrachidia (cujo trabalho recebeu em 2015 o INTBAU Excellence Award in Community Engagement), Vice-presidente de INTBAU Espanha e professor do Centro de Investigação de Arquitectura Tradicional (CIAT).

Leopoldo Gil Cornet

É arquitecto na Escola de Arquitectura da Universidade de Navarra, trabalhando no Serviço de Património Histórico da Direção Geral de Cultura – Instituição Príncipe de Viana do Governo de Navarra desde 1986. É professor na Escola de Arquitectura da Universidade de Navarra e Coordenador da Especialização em Reabilitação e Restauração da Arquitectura que é lecionada na referida instituição desde 2000. Leciona no Mestrado em Conservação do Património Arquitectónico da Universidade Politécnica de Valência. É membro da Academia del Partal, Associação Liberal de Profissionais de Restauração Monumental.

Através da Instituição Príncipe de Viana escreveu e dirigiu numerosos projectos de conservação e restauro em diferentes monumentos de Navarra, entre os quais há que destacar as intervenções na torre medieval do Señorío de Ayanz, 1998-2000 (Medalha de prata da Asociación Española de Amigos de los Castillos, 2000) na Frente de França das muralhas de Pamplona, 2000-2009 (Prémio Internacional União Europeia de Património Cultural-Prémio Europa Nostra 2012, na categoria de Conservação) e na Real Colegiata de Roncesvalles, 1982-2012, tendo sido galardoado com o Prémio Rafael Manzano de Nova Arquitectura Tradicional do ano 2012. Como arquitecto da Instituição Príncipe de Viana foi vencedor do Prémio Nacional de Restauração e Conservação de Bens Culturais em 1998.

Leon Krier

Trabalha como arquitecto, urbanista e assessor de projecto. Estudou na Universidade de Stuttgart, abandonado-a para trabalhar no estúdio de James Stirling em Londres; associar-se com J. P. Kleihues em Berlim; e desenvolver mais tarde a sua atividade privada como arquitecto em Londres (1974-97), Claviers (1998-2002) e Luxemburgo (desde 2003). Deu aulas na Architectural Association School (1973-76) e na Princeton University (1977); foi também Jefferson Professor of Architecture na University of Virginia (1982), Visiting Professor da Yale University School of Architecture de forma intermitente desde 1990 e o primeiro Robert A. M. Stern visiting professor em 2015.

Os seus numerosos e reconhecidos projectos incluem o planeamento urbano e a coordenação arquitetónica da nova cidade de Poundbury, Reino Unido, para o Duque da Cornualha e S.A.R. o Príncipe de Gales (desde 1988); o Palácio da Justiça do Luxemburgo (1990-97); a Citta Nuova em Alessandria, Itália (1995-99); Heulebrug em Knokke-Heist, Vlaanderen, Bélgica (desde 1998) e Cayalá, Guatemala (desde 2003). Participou como assessor no Plano Diretor de Sea Side, Fort Walton Beach, Florida desde 1981 e é considerado “o padrinho” do Novo Urbanismo. O seu trabalh foi exposto no M.O.M.A. (Nova Iorque) e no American Architectural Foundation Octagon Museum (Washington DC).

Leon Krier recebeu a Medalha de Prata da Académie Française em 1997, o Athena Award do Congress for the New Urbanism em 2006 e foi o primeiro vencedor do Richard H. Driehaus Prize em 2003. As suas publicações incluem: Rational Architecture Rationelle, 1978; Albert Speer: Architecture 1932-42, 1985 e 2013; The Completion of Washington DC, 1986; Atlantis, 1987; The Architecture of Community, 2009; e Drawing for Architecture, 2009.

Michael Lykoudis

É o Diretor (Francis and Kathleen Rooney Dean) da Escola de Arquitectura da Universidade de Notre Dame, onde trabalhou como professor de Arquitectura desde 1991. Dedicou a sua carreira à construção, estudo e difusão da Arquitectura e do urbanismo tradicionais. As suas atividades incluem a organização de diversos congressos de renomada importância em colaboração com outras organizacões que incluem a Classical Architecture League, o Institute of Classical Architecture & Classical America, A Vision of Europe e o Congress for New Urbanism. O congresso internacional The Art of Building Cities, teve lugar em 1995 no Art Institute of Chicago e foi o primeiro evento nos Estados Unidos que pôs em contato o classicismo contemporâneo com o novo urbanismo tradicional.

É co-editor de duas publicações: Building Cities, publicada em 1999 pela Artmedia Press e o catálogo da exposição The Other Modern publicado em 2000 pela Dogma Press. Em Notre Dame desempenhou vários cargos, sendo o primeiro Director of Undergraduate Studies, mais tarde Associate Chair e Chair e finalmente Dean. Como Director of Undergraduate Studies durante mais de 10 anos foi o principal organizador do atual programa clássico e urbano da escola e o impulsionador de diversas iniciativas que reformularam o seu modelo de ensino.

Desde 2003 que preside o júri do Prémio Richard H. Driehaus, que honra, promove e impulsiona a qualidade arquitetónica na aplicação dos princípios da Arquitectura e do urbanismo clássicos, tradicionais e sustentáveis no contexto contemporâneo. Graduado na Cornell University, Michael Lykoudis tem um Mestrado em Administração de empresas e Arquitectura da University of Illinois. Antes da sua chegada a Notre Dame trabalhou como arquitecto e projetista em estúdios da Flórida, Grécia, Connecticut e Nova Iorque. Dirigiu o seu própio estúdio em 1983 em Athens, Stamford, Connecticut e agora em South Bend, Indiana. A sua obra foi publicada em revistas nacionais e internacionais, assim como na imprensa generalista. Foi conferencista convidado em numerosas universidades tanto dos Estados Unidos como estrangeiras, assim como em múltiplas organizações profissionais e cívicas.

Rafael Manzano Martos

É arquitecto na Universidade Politécnica de Madrid e professor de História da Arquitectura. Dedicou a sua vida ao estudo do Classicismo, tanto no Ocidente como no mundo islâmico, restaurando diversos monumentos em Espanha e realizando una Arquitectura que, dentro da modernidade imposta pelo nosso tempo, nunca renunciou aos valores do legado clássico.

É, desde 1966, catedrático de História Geral de Arte na Escuela Técnica Superior de Arquitectura de Sevilha, onde deu aulas vários anos, chegando a ser Director-Decano de 1974 a 1978. Desde 1970 a 1991, inclusivé, foi Director-Conservador dos Reales Alcázares de Sevilha. De 1971 a 1981 presidiu à comissão de obras do Real Patronato de la Alhambra y Generalife, assessorando obras realizadas nesse período que mereceram o Prémio Shiller de Restauração de Monumentos no ano de 1980. Exerceu o cargo de Director-Conservador da antiga cidade califal de Medina Azahara de 1975 a 1985. Realizou trabalhos de restauração e consolidação de muitos outros monumentos, tanto em Espanha como no estrangeiro, e deu cursos sobre a matéria em distintos países. As suas publicacões sobre Arquitectura medieval e islâmica são tão numerosas como importantes.

É membro permanente de várias instituições académicas espanholas entre as quais se destacam a Real Academia de Bellas Artes de San Fernando, as Reales Academias de la Historia e de Las Bellas Artes de Granada, Córdoba, Cádiz, Málaga, Écija, Toledo e La Coruña, e a Real Academia Sevillana de Buenas Letras. Recebeu também a Medalha de las Bellas Artes e é Comendador com Comenda da Orden Civil de Alfonso X el Sabio.

Stefanos Polyzoides

Nascido em Atenas e licenciado e mestre em Arquitectura e Urbanismo pela Princeton University. O seu percurso integra uma ampla variedade de trabalhos de arquitectura e urbanismo, da sua história, teoria, ensino e desenho. É co-fundador do Congress for the New Urbanism e, com a sua esposa Elizabeth Moule, sócio da firma Moule & Polyzoides, desde que a fundaram em Pasadena, California, em 1990. De 1973 a 1997 foi Profesor Associado de Arquitectura na USC. Dirigiu projectos de edifícios educativos, institucionais, comerciais e cívicos, de habitações, de rehabilitação de edifícios históricos, assim como de planeamento urbano de campus universitários, bairros e espaços em diferentes lugares dos Estados Unidos.

É coautor de Los Angeles Courtyard Housing: A Typological Analysis (1977), The Plazas of New Mexico (2012), e autor de R.M. Schindler, Architect (1982), assim como da sua próxima reedição. Também ajudou a recuperar partes significativas da história arquitectónica e urbana do Sul da Califórnia organizando várias exposições: Caltech 1910–1950: An Urban Architecture for Southern California, Myron Hunt 1868–1952: The Search for a Regional Architecture, Wallace Neff: The Romance of Regional Architecture, e Johnson, Kaufmann & Coate: Partners in the California Style. Actualmente está a trabalhar num livro sobre as urbanizações espanholas.

Uso de cookies

Este sitio web utiliza cookies para que usted tenga la mejor experiencia de usuario. Si continúa navegando está dando su consentimiento para la aceptación de las mencionadas cookies y la aceptación de nuestra política de cookies, pinche el enlace para mayor información.plugin cookies

ACEPTAR
Aviso de cookies